técnicas de adubação

Quais são as melhores técnicas de adubação? Conheça aqui!

Para ter uma boa produtividade na lavoura é necessário conhecer as técnicas de adubação e as metodologias de aplicação, visto que altas doses de fertilizantes não são garantia de grandes colheitas.

Inclusive, nas últimas décadas, a agricultura familiar tem se modernizado com a plantação de precisão e os implementos agrícolas para a automatização do processo. Essas evoluções também se refletem na adubação e na lucratividade do negócio.

Compreenda, neste post, as diferenças entre as técnicas de adubação e quando cada uma é indicada.

Qual é a importância da adubação e como essa etapa contribui para a produtividade da lavoura?

A lavoura necessita de luz, temperatura, ar, água e nutrientes para que as plantas tenham um desenvolvimento saudável. Logo, a produtividade de uma cultura ocorre mediante os resultados desse conjunto.

É importante que haja um equilíbrio entre o clima, análise do tipo de solo e suas características, potencial genético da planta, uso e consumo de nutrientes, resistência às intempéries, manejo para o controle de doenças, ervas daninhas, irrigação etc.

A adubação é relevante porque fornecerá nutrientes às plantas em proporções certas, permitindo que cresçam e gerem maiores colheitas. Nessa situação, o homem pode auxiliar verificando as exigências de cada plantação, como quantidade de magnésio, cobre, zinco, ferro, enxofre, nitrogênio, fósforo e potássio.

Quais são as diferenças entre adubos orgânicos e não orgânicos?

Muitas pessoas não sabem a diferença entre ambos, mas agora você entenderá de uma vez por todas. Por exemplo, os adubos orgânicos são provenientes de restos de plantas, esterco de animais, farinha de ossos, minhocas e microrganismos.

Há, ainda, aqueles chamados de adubos verdes, que são restos de leguminosas que foram plantadas junto à cultura principal. Vale ressaltar que eles são ricos em suas substâncias.

Já os adubos não orgânicos vêm de minérios e materiais sintéticos que foram processados industrialmente para extrair os nutrientes de suas impurezas. Esses adubos têm rápida absorção pelas plantas e são grandes alimentos para elas. Ademais, é mais fácil calcular a quantidade de cada medida, já que isso vem detalhado no rótulo do produto.

Quais são as principais técnicas de adubação?

Existem diversos tipos de técnicas para usar no manejo da lavoura. Inclusive, elas fazem parte do processo de gestão e podem ser dispostas da seguinte maneira.

Minhocultura

Geralmente, a minhocultura é utilizada quando o solo está pobre em nutrientes e precisa ser ajustado para que haja o cultivo. É um tipo de adubo orgânico que pode ser empregado em forma de túneis pelas minhocas enquanto procuram comida.

Isso ajuda a arejar o solo para que as raízes consigam respirar e garante um melhor escoamento da água da chuva ou da irrigação. Outra maneira é utilizar as fezes das minhocas, que ficam depositadas no solo e colaboram para a produção do húmus.

Correção de acidez

Devido às carências nutricionais, é necessário corrigir os teores de fósforo, potássio e boro. Suas quantidades devem ser aplicadas de acordo com a análise de solo.

Por exemplo, os fertilizantes precisam ser colocados 10 dias antes do plantio em toda a área. Se for usar o fósforo, suas fontes são os superfosfatos. Já para o potássio é indicado empregar o cloreto de potássio ou sulfato de potássio. Para o boro, recomenda-se o bórax, ácido bórico e ulexita.

Terraceamento

O terraceamento é a contenção de erosões provocadas pelo escoamento da água em áreas de declive. Com essa técnica, é possível parcelar a área em rampas para que as águas das chuvas percam força e escoem superficialmente, sem retirar os sedimentos do solo.

Monocultura

É o plantio de uma única cultura, geralmente usada em grandes extensões de terras e com técnicas de baixa produtividade, como no caso da soja. No entanto, é considerada muito prejudicial ao solo porque esgota todos os nutrientes dele, levando-o à exaustão nutricional.

Rotação de cultura

Na rotação de cultura a plantação ocorre de forma organizada para que o manejo afete a adubação do solo. Em alguns tipos, existem menos intervenções porque os restos vegetais da cultura anterior suprem a carência nutricional da nova espécie. Assim, esse sistema de produção leva em conta as particularidades das culturas.

Sistema de integração

O sistema de integração explora as atividades agrícolas, pecuárias e florestais em uma mesma área, mas em épocas diferentes para que tenham mais recursos naturais. Diante disso, gera menos impactos ao meio ambiente.

Como sua base é a diversificação da produção, esse sistema promove maior eficiência dos recursos, preserva a natureza, possibilita a estabilidade produtiva e a renda do produtor. Também contribui significativamente para a melhora da qualidade do solo.

Fertirrigação

Essa opção é feita com a aplicação de fertilizantes junto à água usada para a irrigação. Dessa maneira, os adubos não orgânicos e orgânicos são dissolvidos até virarem uma calda. Ela é conhecida como irrigação por gotejamento por garantir a quantidade necessária de água, de fertilizantes ou defensivos agrícolas.

Sendo assim, os nutrientes infiltram no solo com uma absorção radicular. Todavia, é essencial ter conhecimento sobre o comportamento da nutrição da terra e sua mobilidade, bem como da solubilidade, compatibilidade e salinidade dos fertilizantes.

Dentre tantas técnicas, nos últimos anos, a agricultura de precisão (AP) tem impactado positivamente as lavouras. Ela usa a tecnologia da agricultura 4.0 para mapear as variabilidades do solo, com a finalidade de dosar corretamente a quantidade de fertilizantes e defensivos agrícolas.

Isso permite que os custos e desperdícios com insumos sejam reduzidos, favorecendo a produtividade. Por exemplo, o produtor rural dosa os adubos indicados para favorecer a cultura. Para isso, ocorre o uso de mapeamento do solo, máquinas agrícolas modernas com GPS e sistemas de informação geográfica (SIG) direcionados para a AP.

Neste post, você pôde aprender sobre técnicas de adubação como minhocultura, correção de acidez, terraceamento, monocultura, rotação de cultura, sistema de integração, fertirrigação e agricultura de precisão. Portanto, tem condições de saber qual é mais aconselhável em sua propriedade rural para que tenha maior lucratividade nas próximas lavouras.

Se tiver alguma dúvida ou experiência para compartilhar, por favor, deixe o seu comentário. Assim, poderemos debater mais sobre o assunto e ajudar outros produtores.

Não perca nenhum post!
Assine nosso blog e receba conteúdos gratuitos diretamente em seu email.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.