planejamento familiar financeiro

5 dicas práticas para fazer um planejamento familiar financeiro

O planejamento familiar financeiro pode passar despercebido por diversas famílias, principalmente quando o dinheiro vem apenas de uma fonte. No entanto, independentemente de quem fornece os recursos, muitas das decisões devem ser tomadas em conjunto.

Por isso, é fundamental desenvolver uma consciência a respeito dos gastos, para que eles sejam feitos com responsabilidade e para que a família possa conquistar os seus objetivos. Para te ajudar a implementar o planejamento familiar financeiro, separamos algumas das principais dicas do que fazer. Confira!

Por que é importante o planejamento familiar financeiro?

De forma geral, o planejamento financeiro significa ter um conhecimento a respeito das finanças e ter um comportamento controlado para a conquista dos objetos de médio e longo prazo. Quando somos apenas uma pessoa, implementar essa estratégia é um pouco menos complicado, já que é possível ter mais controle dos seus atos. 

No entanto, se tratando de uma família em que há outros membros envolvidos, o alcance dessa gerência é limitado. Por exemplo, no caso dos filhos, eles têm interesses próprios que, muitas vezes, demandam custos que não são compatíveis com a renda da família.

Sendo assim, o planejamento familiar financeiro é uma maneira não só de tornar as finanças mais compatíveis com a realidade da família, mas uma oportunidade de atingir objetivos e metas para que todos estejam satisfeitos.

Como começar o planejamento financeiro familiar?

Neste tópico, separamos algumas dicas para que você saiba o que fazer para implementar o planejamento financeiro na sua família. Continue!

1. Defina os objetivos coletivos e individuais

Essa dica pode ser um desafio, já que consiste em olhar para as finanças de duas maneiras: individual e coletiva. A primeira exigirá uma conversa com cada membro para entender quais são as suas necessidades e como é possível atendê-las. Já na segunda, é importante que todos os objetivos estejam de acordo com, pelo menos, a maioria.

Esse é um passo importante para que a família tenha mais foco no alcance desses propósitos, tanto individuais como coletivos. Aproveite esse momento para categorizar esses objetivos de acordo com o prazo, dessa forma, é mais fácil determinar estratégias para conseguir conquistá-los.

2. Liste os gastos fixos e variáveis

Outro processo fundamental de qualquer planejamento financeiro é conhecer os gastos. Essa divisão entre fixos e variáveis é muito importante para que se possa ter um maior controle das movimentações do dinheiro da família. A grande dúvida é o que seriam esses custos?

Bem, os gastos fixos estão relacionados àqueles fundamentais para a sua vida e que têm constância, como água, luz, internet e alimentação. Já os variáveis, além de não serem constantes, são geralmente definidos como mais supérfluos. Entram nessa lista os voltados para o lazer, ida a restaurantes, viagens, parques, cinema etc.

Saber quem são também ajudará a definir de que forma você poderá dividir a renda para que gaste um valor mais justo em cada área.

3. Encontre despesas que podem ser cortadas

Se você fez o que recomendamos no tópico anterior, esse processo será bastante simples. Afinal, entendendo como funcionam os seus gastos é mais fácil saber o que realmente é importante ou não. É claro que os custos fixos têm uma importância maior, já que são essenciais para a sua vida, porém, isso não significa que não há coisas a serem modificadas.

Um exemplo é que a sua família pode procurar por serviços mais baratos, como mudar a operadora de internet, ou mesmo organizar as compras no supermercado. Além disso, nos gastos variáveis, os membros terão que reestruturar hábitos. Por exemplo, se há sempre a necessidade de comer fora toda a semana, isso pode ser reprogramado para uma ou duas vezes por mês.

4. Divida as contas a serem pagas

Essa é uma dica que funciona especialmente se há mais fontes de renda na família, isto é, quando o dinheiro não vem apenas de uma pessoa. Essa será uma importante medida para não sobrecarregar apenas um dos familiares — mas lembre-se de que isso deve ser feito de uma maneira justa.

Nesse sentido, quem ganha mais deverá pagar as mais caras, além de a família revezar a responsabilidade. Logo, em um mês um membro paga determinado conjunto de contas, no segundo, outro paga e assim por diante.

5. Encontre formas de gerar renda extra

A maioria das dicas que mostramos aqui são formas de controlar os gastos, mas apesar de essa administração das finanças ser muito bem-vinda para ter mais dinheiro no fim do mês, essa não pode ser a única alternativa.

É muito importante que o planejamento familiar financeiro seja completo e que os membros invistam em meios para gerar mais renda. Destacamos que isso deve ser uma decisão feita em conjunto. Entre as alternativas estão realizar investimentos, ter uma atividade secundária ou até trocar de emprego.

Quais são os erros mais comuns?

Infelizmente, nem todos conseguem implementar o planejamento familiar com sucesso. Principalmente, quando há uma tendência a subestimar algumas medidas. Às vezes, até o fato de apenas um membro da família ser o responsável por toda a renda pode gerar problemas para conseguir fazer um planejamento efetivo. Aqui, separamos alguns dos erros mais comuns, eles são:

  • compras por impulso;
  • ir ao supermercado constantemente e comprar produtos em grandes quantidades
  • evitar fazer manutenções regulares, como vistorias no carro ou nas estruturas da casa;
  • não poupar;
  • não conhecer qual é o limite da renda familiar.

Ao longo deste texto, você viu como o planejamento familiar financeiro é uma estratégia para lidar com as finanças em conjunto. Ela é importante não só porque unifica os esforços dos membros para administrar a renda de forma responsável. Mas também porque garante que os objetivos em comum sejam alcançados. 

Sendo assim, vimos algumas das principais dicas de como implementar esse tipo de planejamento com sucesso. Determinar os objetivos coletivos e individuais, conhecer os gastos fixos e variáveis e separar as responsabilidades financeiras são algumas das soluções mostradas. 

Esperamos que este post tenha esclarecido para você como é possível implementar o planejamento familiar financeiro. Gostou do texto? Quer continuar acompanhando mais conteúdos como este? Então, siga a gente no Facebook!

Não perca nenhum post!
Assine nosso blog e receba conteúdos gratuitos diretamente em seu email.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.