linhas de crédito para aposentados

Conheça as 5 principais linhas de crédito para aposentados!

A chegada da aposentadoria é sempre um momento esperado pelo trabalhador. Afinal, depois de anos contribuindo para a Previdência Social, finalmente ele tem a chance de descansar e receber o seu merecido dinheiro. Porém, precisamos ser realistas em relação aos valores, já que o montante disponibilizado, muitas vezes, não é o suficiente. De modo que, se o contribuinte quiser dar um passo a mais, terá que ir atrás de linhas de crédito para aposentados.

O ponto é que essa busca pode não ser tão simples. Afinal, no momento em que você para de trabalhar, seus recursos ficam limitados ao valor da aposentadoria. Além disso, há a questão da idade, que pode fazer toda a diferença no que diz respeito à quantidade de parcelas e até na aprovação do crédito.

Pensando nisso, resolvemos mostrar quais são as principais linhas de crédito concedidas para aposentados e o que considerar na hora da escolha. Continue!

Quais as principais linhas de crédito para aposentados?

Antes de conhecer as principais linhas, é preciso entender que algumas instituições bancárias têm um limite de idade para conceder o empréstimo. Também há bancos que restringem o montante oferecido de acordo com a idade.

Por exemplo, aposentados com 79 anos e 11 meses podem pedir no máximo R$ 80.000,00 de crédito. Já pessoas que ultrapassam essa faixa etária têm direito a R$30.000,00. Dito isso, vamos conhecer quais os tipos de créditos disponíveis.

1. Cartão de crédito

Muita gente pode não considerá-lo como uma concessão, porém, o cartão é um tipo de crédito, a diferença está na disponibilidade e no juros. É sem dúvidas muito mais fácil de ser acessado do que outras modalidades. Muitas vezes, ele não gera tanta burocracia para ser concedido, se o aposentado já tem uma conta em uma instituição bancária, possivelmente dispõe de um cartão desse tipo.

Apesar de seu limite não ser tão alto assim — alguns cartões não passam de R$10.000,00 —, podemos dizer que ele simplifica compras a prazo. Porém, os juros podem ser bastante altos e até fazer com que o aposentado fique com o nome sujo. Por isso, além de ser recomendado que seu uso seja mais cauteloso, ele é ideal para aquisições simples, como um eletrodoméstico.

2. Empréstimo pessoal

Bastante conhecido quando pensamos em concessão de crédito, o empréstimo pessoal pode ser disponibilizado por financeiras e instituições bancárias. Suas taxas, prazos e documentos exigidos variam de acordo com a entidade.

Diferentemente do cartão, aqui é possível conseguir mais crédito. Assim, é um recurso ideal para cobrir despesas, como reformas, viagens, compra de um imóvel, pagamento de dívidas etc. A liberação é mais demorada, já que a instituição fará uma análise das condições do cliente. Por exemplo, se o nome estiver negativado, a quantia pode não ser concedida.

3. Crédito Consignado

Esse tipo de empréstimo tem algumas características bastante particulares. Primeiro em relação aos juros, que costumam ser bem menores do que os de um crédito pessoal. Segundo, as parcelas são debitadas diretamente do salário, dando mais garantia de pagamento à instituição bancária, logo, ele não é concedido para qualquer pessoa.

Aposentados, pensionistas, funcionários públicos e empregados de empresas conveniadas são os que têm direito a esse benefício. Ele é uma boa alternativa para negociações de débitos, trocando uma dívida cara por um empréstimo mais barato.

Existem alguns pontos importantes que devemos destacar sobre o consignado. Entre eles, está o processo de análise de crédito, em que são solicitados alguns documentos e informações. Esse é um momento importante para o empréstimo, pois é aqui que a instituição analisa se o aposentado é ou não um pagador confiável.

Apesar de o consignado ser uma modalidade em que a aprovação é bem mais rápida do que outros tipos, ainda assim, é interessante que o consumidor não esteja com o nome sujo. Geralmente são pedidos documentos como o RG, o CPF, o comprovante de residência e também o último holerite recebido.

4. Financiamento

Utilizado para situações mais específicas, o financiamento também é considerado um subtipo do empréstimo pessoal. Antes de pedi-lo, o interessado deve ter certeza de qual é o propósito do dinheiro.

Por isso, geralmente é concedido para a compra de um veículo ou imóvel, sendo o valor limitado ao que será preciso para a aquisição do bem. Os juros são bem parecidos com os do empréstimo pessoal. É possível utilizar a poupança ou o FGTS para pagá-lo, o que pode reduzir o valor dos juros dependendo da instituição.

5. Consórcio

Diferentemente das outras modalidades de crédito acima, o consórcio tem uma particularidade, além de servir para um propósito mais específico, o crédito disponibilizado não é entregue diretamente nas mãos do interessado, é fornecida uma carta de crédito que representa o valor. Ele é utilizado para a obtenção de algum bem ou concretização de algum objetivo.

O consórcio funciona da seguinte forma: um grupo de pessoas com um objetivo em comum é reunido pela administradora. Cada membro deve dar um valor mensal previamente combinado durante um determinado período. Cada mês, uma pessoa é sorteada para poder receber o valor e comprar o bem. Com essa configuração, o objetivo é que no final do período todos consigam fazer uma aquisição.

Algumas informações precisam ser ditas. Primeiramente, não é apenas quem é sorteado que receberá antes do final do consórcio. Interessados podem dar lances para antecipar o recebimento. Em segundo lugar, diferentemente das outras modalidades, é uma administradora especializada em consórcios a responsável por organizar o grupo. Ela também fica incumbida de investir o dinheiro dos consorciados para que ele não se desvalorize perante a inflação.

As principais vantagens dessa modalidade são:

  • variedades de objetivos — não pense que o consórcio só está atrelado à compra de um imóvel ou veículo. Também é possível fazê-lo para adquirir eletrônicos e até para uma cirurgia plástica;
  • existem consórcios específicos para aposentados — eles tendem a ser mais baratos, já que essa é uma modalidade em que não há cobrança de juros. Apenas uma taxa de administração;
  • a possibilidade de inadimplência é bastante baixa — porém, é importante estar atento ao histórico da administradora escolhida. O Banco Central tem um órgão regulador e que fiscaliza essas instituições. Procure consultar essas empresas e também realizar uma pesquisa em sites de reclamações e de defesa do consumidor.

Como avaliar e escolher a melhor opção?

Como podemos ver, há diferentes alternativas de empréstimos para aposentados. Por isso mesmo, antes de escolher a opção ideal, é preciso que o interessado fique atento às características da concessão para não ter problemas com o pagamento. A seguir, vamos entender quais são as melhores medidas a serem tomadas.

Analise os prazos

Cada empréstimo tem um tipo de prazo de acordo com sua natureza. Por exemplo, no crédito pessoal e no financiamento, o limite é de 48 meses. Já o consignado dá até 72 meses para a quitação total.

Apesar disso, os prazos também variam de acordo com a instituição. A idade do aposentado também pode ser um fator crucial para estabelecer o número de meses para o pagamento.

Avalie as taxas de juros

Os juros costumam variar bastante dependendo do tipo de crédito e do banco. Por isso, o ideal é realizar uma boa pesquisa antes de pedir um empréstimo. O aposentado deve, igualmente, estar atento à determinação da taxa Selic do período, ou seja, à tarifa básica de juros determinada pelo governo e utilizada como referência pelas instituições. Também não deve se esquecer de calcular o CET, que corresponde à junção das tarifas adicionais vinculadas à prestação de serviço.

Calcule o Custo Efetivo Total

Como explicamos no tópico anterior, o CET, ou Custo Efetivo Total, é a junção de outras despesas relacionadas à manutenção do empréstimo. Entre elas, podemos destacar taxas para análise de crédito, administração do cadastro, IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e outros tributos.

Esses valores ficam disponíveis na CCB — Cédula de Crédito Bancário —, além de estarem detalhados no contrato. É importante conhecê-los, pois, em alguns casos, os juros podem até ser atrativos, porém, com a junção do CET, o valor final das parcelas é bem mais caro.

Veja as condições de pagamento

As diferenças entre as linhas de créditos ocorrem da mesma forma em relação às condições de pagamento. Seja qual for a escolha, é sempre bom lembrar que o ideal é que o valor das parcelas não comprometa mais de 30% da aposentadoria.

Destaca-se que, se a opção for o consignado, as mensalidades são descontadas diretamente da folha de pagamento. Já no empréstimo pessoal, as condições, incluindo a quantidade de parcelas e os juros, são estipuladas entre o interessado e o banco, sendo oficializadas em um contrato. Os valores podem ser pagos por meio de débito automático, boleto ou cheque nominal.

Por outro lado, no financiamento, o cálculo é determinado de acordo com a amortização, isto é, o quanto de entrada será pago pelo aposentado. A partir daí, é determinado o restante das parcelas e os juros.

Verifique a idade máxima de contratação

Dependendo do tipo de concessão escolhida, como é o caso do consignado, pode existir um limite de idade para a aprovação do crédito, geralmente, o interessado não pode ter mais de 80 anos. Isso não é uma regra, portanto, é até possível encontrar algumas instituições que aceitam pessoas que estão acima dessa idade, porém, é algo bastante raro.

Sendo assim, é importante entender que o limite de idade vai depender da política de crédito da instituição, visto que não há nenhuma norma que determine esse limite. As empresas costumam impor essa medida, pois é uma informação que afeta tanto o prazo do pagamento quanto o valor do crédito.

Esteja atento à desburocratização

Em um primeiro momento, essa pode não parecer uma grande necessidade. Porém, encarar muitas exigências para a aprovação do crédito, incluindo uma grande demora para informar a decisão da empresa, pode não ser muito agradável. Muitas vezes, o interessado precisa do dinheiro rápido, por uma questão urgente, como pagar um atendimento médico, quitar alguma dívida etc.

Imagine que desesperador é, por causa da burocracia da empresa, só receber a confirmação do empréstimo um mês depois do pedido? Isso pode acontecer se a instituição faz muitas exigências ou tem processos muito lentos para fazer a análise de crédito ou verificar os documentos. Fique atento a esse detalhe na hora de fazer a sua escolha.

Procure por empresas que sejam flexíveis

Outro ponto importante é a flexibilidade que a instituição oferece para o aposentado. Tem portabilidade de crédito? É possível rever parcelas ou antecipá-las? Há disponibilidade de refazer o contrato em caso de necessidade? Essas são algumas das questões que devem ser avaliadas na hora de escolher a financeira.

Afinal de contas, nunca sabemos o que pode acontecer. Você pode descobrir que não conseguirá quitar o empréstimo e precisa passar essa dívida para outra instituição com juros mais baixos. Portanto, ao entrar em contato com a empresa, procure perguntar sobre os benefícios disponíveis.

Veja se a financeira está autorizada

Para quem está procurando por crédito com uma certa urgência, qualquer proposta que pareça adequada é uma oportunidade. No entanto, nesse meio de concessão de crédito, há muitas possibilidades de golpes e outros tipos de fraudes. Por isso, é fundamental tomar alguns cuidados, principalmente quem é segurado do INSS.

Aposentados devem só negociar com instituições que estão autorizadas a conceder esse tipo de empréstimo. Além disso, procure saber sobre a origem da empresa e também as experiências de outros clientes.

Atenção, pois, para a liberação de crédito de empréstimos ou a análise de crédito, não há a necessidade de fazer nenhum pagamento antecipado. Fuja de empresas que fazem essa exigência, porque provavelmente é um golpe.

Acompanhamos, ao longo do texto, as principais linhas de crédito para aposentados. Antes de terminamos, ressaltamos que é fundamental fazer um comparativo das taxas de juros, das possibilidades de vencimento e das facilidades de pagamento antes de decidir, escolhendo sempre a opção que mais tem a ver com a sua realidade.

Esperamos que o nosso texto sobre linhas de crédito para aposentados tenha sido útil para você entender quais são os empréstimos disponíveis. Se está procurando uma financiadora que pensa em oferecer as melhores condições, sem burocracia para o seu empréstimo e que oferece boas oportunidades para aposentados, entre em contato conosco. Nós sabemos o valor do crédito para você!

Não perca nenhum post!
Assine nosso blog e receba conteúdos gratuitos diretamente em seu email.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

    Avatar

    Tenho 86 anos tem como fazer empréstimo recebo pensão no banco do Brasil aposentadoria no Itaú todas são 104500 cada mão possuo emprestimo aguardo resposta wats42999353261

      Olá Maria, tudo bem?
      Vou passar o teu contato para o setor responsável e em breve eles entraram em contato com você. Obrigada pelo comentário e por acompanhar nosso blog 🙂

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.