impactos do coronavírus

Impactos do coronavírus no mercado financeiro e no agronegócio

São muitos os impactos do coronavírus em diferentes setores da nossa sociedade. Especificamente para o mercado financeiro e o agronegócio, algumas medidas de contenção do vírus fazem com que essas áreas sejam atingidas de uma maneira não muito positiva.

A grande questão é que, para quem lida diretamente com as categorias citadas, a paralisação temporária do comércio representa um grande impedimento para manter os negócios e sobreviver a esse período inédito no país.

Para ajudar você a entender o que está acontecendo e quais são as melhores ações para o momento, vamos conversar sobre os impactos do coronavírus no mercado. Entenda!

Quais são os impactos do coronavírus no mercado financeiro?

Entre as medidas de controle do avanço do COVID-19, a necessidade de isolamento social e o fechamento do comércio são as que têm, em um curto prazo, causado grandes impactos ao mercado financeiro. Junto a isso está a obrigatoriedade do fechamento temporário de fábricas e o avanço do trabalho home office.

Apesar de a última ação ser uma maneira de não impedir algumas atividades trabalhistas, é evidente que outras funcionalidades que não podem ser exercidas em casa acabem sofrendo. Desempregos e até fechamentos de estabelecimentos são possibilidades futuras em meio a esse momento.

Lucros e empresas

O que temos até agora são algumas projeções de lucro e a diminuição de investimento para diversos setores empresariais. Alguns meios de produção também são interrompidos, além da restrição de liberdade na movimentação. É importante entender que o impacto será sentido não só no país, mas no mundo todo.

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a economia mundial deve ficar abaixo do que foi 2009 (ano posterior à crise financeira), chegando a 2,4%.

Para o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), as consequências serão bastante preocupantes para o mercado de trabalho brasileiro — campo que já mostrava uma recuperação pequena. De acordo com o IBGE, 2019 encerrou com taxa de 12,5% de desempregados.

No começo deste ano eram cerca de 11,2%, ou seja, 11,9 milhões de pessoas sem emprego. A previsão é de que parte das demissões ocorram no setor de serviços, principalmente para comércios de pequeno e médio porte, como bares e restaurantes.

Lembrando que a economia já estava sofrendo com a recessão em 2016. Agora, espera-se que o PIB possa cair até 0,7% este ano, caso o bloqueio econômico seja de 75%, como ocorreu na China. Se for de 100%, é provável que a queda seja de 1,6%.

Quais são os desafios e as perspectivas para o setor rural?

O setor rural, especificamente as exportações, tem boas notícias apesar dos impactos negativos do coronavírus. As principais commodities estão em estabilidade graças às volatilidades do câmbio com a alta do dólar.

Além disso, com a retomada da China aos poucos, produtos como minério de ferro, soja e carne podem ter uma boa aquecida. Isso se deve à possibilidade de o país retomar as suas obras de infraestrutura.

Quanto às produções internas, hortaliças, frutas e legumes não estavam com um bom resultado por falta de demanda, sobretudo por causa dos desempregos e da pouca renda dos consumidores. Porém, apesar do efeito negativo em relação aos empregos, a pandemia trouxe oportunidades.

Muitos desses produtos tiveram uma alta na demanda por causa das necessidades de estoque de alimentos por parte dos brasileiros, gerando um ajuste de preços nos núcleos de abastecimento.

Para as colheitas de grãos, como trigo, milho, arroz e feijão, as estimativas é que tenham alta. Se comparado ao ano passado, o valor será de 97% de toda a produção, com um volume de 100 milhões de toneladas.

Setores que perdem

De uma maneira geral, o PIB será afetado com a retirada de investimentos, desvalorização de ativos e insumos mais caros por causa do dólar. Isso trará algumas vantagens em relação a taxas de juros e custos comuns da produção, como o uso de energia e fretes, mas não impedirá que algumas categorias sofram impactos em suas economias.

Os setores ligados indiretamente ao agrícola, como os de serviços, serão bastante impactados, a exemplo dos supermercados e restaurantes. Além disso, os produtores especializados no cultivo de flores, plantas e borracha natural sofrerão maiores impactos com as medidas de restrições de consumo.

Eles terão uma redução drástica. O setor de flores, por exemplo, tem um calendário de eventos que, nesse contexto, não será executado. Também é preciso considerar o fechamento de floriculturas e jardins, que afetará quase 100% da receita semanal. No caso da fabricação de borracha natural, o problema maior não é o cultivo, mas a produção industrial, que teve uma redução significativa de seu trabalho.

Por que é importante o crédito rural?

Neste momento de crise, o produtor agrícola pode ter bastante dificuldade ao perceber que o planejamento do ano inteiro precisou ser cancelado. É fundamental que ele pense em medidas de contenção de riscos. Algumas ações são essenciais para enfrentar o momento com o mínimo de prejuízo possível.

Assim sendo, é esperado que ele já conheça os seus rendimentos e tenha uma estimativa de quanto é necessário para financiar o custeio da safra — o que chamamos de capital de giro, aquele valor básico para que o empreendimento continue existindo.

Além disso, será uma boa oportunidade para conseguir crédito rural, já que, em um primeiro momento, ele será necessário para obter recursos suficientes.

Ao longo deste texto, pudemos acompanhar as previsões de impactos do coronavírus para o setor financeiro. Na categoria de produção rural, as exportações e o mercado interno de alguns tipos de produtos, como grãos, frutas e legumes, podem ter resultados bastante positivos. Isso se deve à alta procura e à volatilidade do dólar.

Agora, para os setores que dependem diretamente do comércio, como é o caso da venda de flores, as consequências das medidas de restrição de circulação farão grande diferença nos rendimentos mensais. Por isso, destacamos a importância de realizar um bom planejamento financeiro e contar com a possibilidade de crédito rural.

Aliás, para você, produtor que está precisando de recursos para lidar com os impactos do coronavírus, temos uma ótima recomendação: entender como funciona o crédito rural Safra VIACERTA. Temos certeza de que esse serviço é ideal para você!

Não perca nenhum post!
Assine nosso blog e receba conteúdos gratuitos diretamente em seu email.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.