capital de giro na agricultura

Qual a importância do capital de giro na agricultura? Entenda aqui

O Brasil é o terceiro maior exportador agrícola do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e a União Europeia. Contudo, para manter esse ranking ou mesmo melhorá-lo, o Governo Federal precisa tomar algumas medidas para reduzir perdas e ampliar sua produção, entre elas está o fomento do capital de giro na agricultura.

Afinal, para começar e finalizar a produção agrícola, são necessários recursos para as operações desse setor. Assim, os produtores conseguem transformar os insumos em receita. Pensando nisso, veja neste post por que esse dinheiro é relevante. Boa leitura!

Como a falta de capital de giro afeta a gestão agrícola?

O capital de giro na agricultura está relacionado ao dinheiro que a propriedade rural tem para custear as suas atividades, desde a compra de insumos, maquinários e equipamentos até os salários dos funcionários, a armazenagem e a distribuição da colheita.

Além disso, serve para quitar as contas de curto prazo, manter o dia a dia da fazenda, balancear as contas do ativo e passivo e gerar fluxo de caixa para as finanças. Ou seja, é uma reserva de dinheiro para suprir as necessidades até o recebimento da venda das mercadorias.

Logo, é a somatória do que se tem para pagar e receber. Você vai somar as contas a receber mais o estoque que há na propriedade, depois diminuirá do valor das contas a pagar, acrescentando os impostos e as despesas do período.

Se o resultado der positivo, significa que a propriedade está lucrando e o capital que existe consegue movimentar bem o caixa. Do contrário, mostrará que está tendo prejuízo, e isso precisa ser revisto.

Portanto, saiba que uma empresa, mesmo agrícola, precisa do capital de giro para pagar mais barato os insumos necessários em sua lavoura. Caso contrário, terá dificuldades de investir e obter boas colheitas.

Consequentemente, fará cortes nos custos da produção, reduzindo a produtividade e a competitividade, comprometendo o negócio. Já com o dinheiro em mãos, utilizará recursos que beneficiarão a terra e a atividade, sem comprometer as finanças da empresa rural.

Como o crédito pode ajudar o produtor rural?

O capital de giro proporciona um retorno da atividade agrícola, pois com ele pode-se usar ferramentas que gerem renda entre a entressafra, bem como realizar a compra de máquinas, equipamentos e insumos. Confira abaixo.

Aquisição de máquinas e equipamentos

Para o produtor rural ser competitivo, é necessário modernizar o trabalho na agricultura. Logo, é fundamental adquirir novas máquinas e equipamentos com tecnologia que fazem parte da cadeia produtiva. Automaticamente, é preciso de mais dinheiro para isso, já que essas mercadorias não são baratas. Dessa forma, é necessário buscar o investimento em alguma instituição financeira, por meio do programa Moderfrota ou Plano Safra.

Insumos

Já os financiamentos para aquisição de insumos podem vir pelo crédito para pré-custeio, custeio agrícola e, também, pelo Plano Safra. Nessas modalidades não há limites de financiamento, sendo o pagamento dos dois primeiros para 60 dias depois da colheita, e do último para até 360 dias. Diante disso, o produtor deve contar com um capital suficiente para pagar de uma só vez o financiamento.

Como gerenciar melhor o capital de giro?

Não adianta pegar um capital de giro e não fazer uma boa gestão dele. Por esse motivo, mostraremos abaixo algumas orientações para que você possa utilizá-lo de modo que seu dinheiro renda mais.

Faça compras à vista sempre que possível

Converse com os fornecedores que são parceiros de sua propriedade há mais tempo para negociar bons descontos nas compras à vista. Assim, você evitará parcelamentos que podem atrapalhar suas finanças no futuro.

Contudo, caso não seja possível pagar no ato, veja prazos de pagamentos mais adequados às suas necessidades. Se os fornecedores forem novos, opte por quitações conforme o ciclo do capital, mas antes planeje os vencimentos dos seus clientes, de tal forma que você tenha o dinheiro no prazo para quitar as parcelas.

Amplie a lucratividade da atividade rural

O funcionamento de uma propriedade rural é complexo e grande, pois é necessário realizar e acompanhar diversas atividades diariamente para atingir os objetivos traçados. No entanto, é possível melhorar todo o processo com a automatização daquelas etapas que são práticas e rápidas, a princípio.

Para isso, use um software de gestão ou plataformas direcionadas às tarefas em questão, como sistema de finanças, uso de robôs para coletar dados do solo e plantas, métodos e equipamentos que não agridem a plantação, drones etc. Quando conseguir obter controle de todos os processos, você saberá os locais que podem ter cortes de gastos sem prejudicar a produtividade, aumentando a lucratividade.

Reponha a quantia que for utilizada

Suponhamos que você tenha de retirar uma determinada quantia do capital de giro para quitar um fornecedor. Isso pode ser feito desde que você reponha o valor, assim que entrar o dinheiro. Afinal, é preciso sempre manter o valor original para emergências. Logo, inclua esse cálculo no planejamento para manter as operações da fazenda corretamente.

Saiba administrar o estoque

Muitas vezes os gestores investem no estoque de forma errada, fazendo com que as mercadorias fiquem paradas, tendo a validade vencida e ocupando espaço. Essa atitude é derivada da falta de planejamento.

Por isso, acompanhe o estoque de forma consciente e verifique se a aquisição daquele produto vai ser importante e ajudará nas vendas, até porque há períodos de sazonalidade. Logo, é necessário ter equilíbrio entre produtos comprados e utilizados, pois esse dinheiro gasto fará parte do capital de giro. Assim, um sistema de gestão de estoque poderá auxiliá-lo nisso para economizar na aquisição de produtos relacionados à lavoura.

Monitore os seus recebíveis

Fazer a gestão do capital evitará que você tenha de recorrer à antecipação de recebíveis para manter os processos internos. Não somente isso, você saberá realizar a contenção do dinheiro para algum momento mais difícil. O inverso também pode significar possíveis investimentos no negócio. Essas tomadas de decisões devem ser baseadas em dados e cenários reais amparados nos acompanhamentos dos resultados dos processos.

Em resumo, a ausência do capital de giro na agricultura provoca diversos problemas para o custeio da safra, impactando negativamente o funcionamento da atividade. Como estamos falando de um mercado muito competitivo, é necessário fazer um bom uso desse dinheiro para que o produtor rural ganhe produtividade e lucratividade, sem aumentar os custos de sua produção.

Deseja entender mais sobre o funcionamento do capital de giro na agricultura? Entre em contato com a nossa empresa, pois daremos todas as explicações!

Não perca nenhum post!
Assine nosso blog e receba conteúdos gratuitos diretamente em seu email.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.